Mudanças e descobertas após me tornar mãe!

14 mudanças e descobertas após me tornar mãe!

Quando Julho iniciou, comecei a refletir muito, pois daqui a um mês o Francisco completa 1 ano de vida e eu de mãe! Hoje escrevi um pouco sobre algumas mudanças e descobertas que ocorreram na minha vida e em mim nesse período. E quero dividir todas elas com vocês! Vamos às mudanças e descobertas após me tornar mãe!

1- Comecei a valorizar mais o meu tempo:

Logo que o Francisco nasceu uma das coisas que eu mais senti falta e estranhei foi a falta de tempo para fazer as coisas que eu gosto e as coisas que eu preciso. Quando eu ainda não era mãe, eu trabalhava o dia todo fora, cuidava dos meus gatos impecavelmente, limpava a casa e deixava 100% organizada (sempre tive mania de organização). Cozinhava coisas diferentes todos os dias, praticava vários hobbies e eu sempre encontrava tempo para qualquer coisa.

Depois que eu me tornei mãe descobri que muitas coisas teriam que ficar de lado e até mesmo as mais simples se tornariam um evento. Depois que os filhos nascem a gente não tem mais o mesmo tempo, é inevitável precisamos nos adaptar a uma nova rotina. No início isso causa um impacto grande, de um dia para outro começar a se dedicar 100% a outro alguém e passar a viver em segundo plano (principalmente nos primeiros meses), não é tão fácil ou simples como parece.

Conforme o tempo foi passando eu aprendi a me organizar, me adaptei a essa nova rotina e hoje a falta de tempo não me incomoda mais. Eu passei a valorizar cada segundo do meu dia, até mesmo as coisas mais simples passaram a ser coisas incrível como, tomar banho, cozinhar ou comer uma comida quentinha, o momento a sós com o marido, enfim tudo que eu puder fazer sozinha e por mim mesma.

Sentir falta do tempo que tínhamos é normal, sentir vontade ficar um pouco sozinha é humano. Nada disso significa que não gostamos dos nossos filhos ou que cansamos deles, pelo contrário, nos dedicamos com tanto amor que acabamos nos esquecendo. É super saudável reservar um tempo para nós, para apenar ser mulher, filha ou esposa.

2- Descobri que dormir é importante:

Eu nunca na minha vida valorizei muitas e seguidas horas de sono, eu só descobri como isso é importante depois que o Francisco nasceu, pois no meu mundo dormir sempre foi perda de tempo. Desde que eu sou criança eu durmo muito tarde (tipo 3, 4, 5 da manha, mesmo precisando levantar as 6 ou 7 da manha- Observe que horas eu publiquei esse Post hehe). Era (e é) na madrugada que a minha criatividade aflora, seja para estudar, escrever, assistir, pesquisar, organizar (a louca que arruma o guarda roupa as 3:00 da manha), certo mãe?

Depois que o Francisco nasceu eu sofri com isso, pois quando “sobrava” qualquer tempo livre eu tinha que escolher entre dormir ou fazer algo que eu gostava e no nível de cansaço que eu estava eu ia dormir. Depois do 4º mês do Francisco (onde ele começou a dormir a noite toda, falo mais sobre isso aqui)  eu comecei a voltar a ter tempo para mim e aos poucos adaptei novas atividades. Não chego a dormir 8 horas por dia (novamente por opção), mas com certeza durmo mais do que antes e entendo o valor de uma boa noite de sono.

 

3- Me tornei menos imediatista:

Já ouvi muitas mamães falando que vivem em estado de “nervos”, mas por mais engraçado que pareça depois que o Francisco nasceu eu “relaxei”. Sinto que eu tenho tudo que desejei, que a minha vida agora está completa com ele. Todas as coisas boas que acontecem é como se fosse “lucro”. Tenho muitos sonhos e objetivos claro, mas agora eu não me estresso pensando quando irão acontecer ou tentando antecipar as coisas, eu apenas vivo. Sempre fui muito imediatista, sofria até quando alguma coisa que eu queria demorava para acontecer, mas depois que ele nasceu isso mudou totalmente. Hoje, eu vivo um dia de cada vez, sem ansiedade, menos estres, mais cansada e muito mais feliz.

 

4- Tornei-me mais emotiva:

Essa eu acredito que a maioria das mamães irá se identificar. Choro assistindo propaganda de banco (de sabão em pó, de leite), enfim, qualquer uma que tenha bebês, mamães e famílias. Choro lendo história sobre outras famílias, as vezes eu choro só de olhar para o Francisco fazendo algo novo ou não. Eu choro e fico muito triste quando leio alguma história envolvendo bebês, sinto raiva e até ódio muitas vezes. Resumindo: Depois que eu me tornei mãe eu me tornei uma chorona hehe…

 

5- Aprendi a dar valor para o que realmente é necessário:

Antes de ser mãe eu sempre sonhei e imaginei as coisas que iria ensinar para o meu filho, depois que ele nasceu eu percebi que quem mais aprende nessa relação sou eu. Passei a valorizar e dar importância apenas para o que realmente é necessário e interessante para a minha família. Descobri que aparências são apenas aparências e a minha vida não irá mudar se eu não estiver com o cabelo e a maquiagem impecáveis todos os dias (quem é mãe fulltime vai entender isso).

Me tornei uma pessoa mais compreensiva e tolerante. Sinto que estou conseguindo ser aquela que o coração manda, não apenas a razão ou a necessidade. Sinto que amadureci muito, que hoje sou quem eu sempre quis ser.

 

6- Entendi a minha mãe:

Simplesmente hoje eu entendo tudo que ela já me disse na vida. E a cada dia que passa agradeço mais a Deus por ter uma mãe tão incrível e guerreira como a minha. Tenho certeza que foi com ela que eu aprendi a ser a mãe que eu sou hoje. Obrigada mãe!

 

7- “Mordi a Língua”:

Quem nunca falou aquela frase: “eu nunca vou fazer isso quando eu for mãe!”. Sabe o que? Pura Bobagem! Aprendi que na prática é tudo diferente e hoje eu cuido muito para não julgar outra mãe. Posso até dar a minha opinião ou dividir a minha experiência, mas eu acredito sinceramente que cada mãe sabe o que é melhor para o seu filho e ponto (sempre falo isso).

 

8- Comecei a valorizar mais a minha saúde:

Antes do Francisco nascer eu nunca havia parado para pensar na importância da minha saúde, eu me cuidava, ia ao médico, mas não pensava nisso com frequência. Hoje, eu rezo todos os dias para Deus me proteger e me dar uma vida longa, pois eu preciso e quero cuidar do meu filho. Quero poder dar o amor e ser a mãe que ele merece. Eu sei o quanto eu sou importante para ele e quero sempre estar ao seu lado. Neuroses de mãe!

 

 9- Aceitei a bagunça:

Quem tem filhos sabe que bagunça faz parte, que a sala vira um playground, lotada de brinquedos, que a louça as vezes fica suja, que as roupas acumulam, e assim segue. No início isso me irritava e incomodava muito, pois sempre fui muito maníaca por organização e limpeza. Hoje eu aprendi que aonde tem crianças tem bagunça, é inevitável, só nos resta aceitar e controlar da forma que conseguimos. Isso faz parte do nosso dia a dia de mãe!

 

10- Descobri que valorizar-se faz toda a diferença:

Logo depois que o bebê nasce muitas mulheres demoram para voltar as suas formas antigas e outras simplesmente não voltam. Eu demorei 7 meses para emagrecer todos os quilos que adquiri na gravidez. Logo no início eu me sentia muito mal com isso, mas depois eu percebi que é normal, faz parte da vida, da mudança.

Descobri que é importante aceitar e valorizar a mulher que nos tornamos, independente das marcas que ficaram, afinal elas fazem parte da nossa história. É essencial  trabalhar e cuidar da nossa auto estima, se olhar no espelho e se sentir bem. É importante se valorizar para ser feliz e emocionalmente saudável! (Escrevi um Post bem interessante sobre isso, clique aqui).

 

11- Sinto mais medo:

Depois que o Francisco nasceu eu sinto mais medo da maldade do homem, das crises, das doenças, da falta de educação e compreensão das pessoas. Muitas preocupações novas surgiram e eu sei que isso é normal, qual mãe/pai que não se preocupa com o futuro e o bem estar do seu filho?

Hoje, depois de algumas febres, de alguns dentinhos, de alguns tombos, de alguns sustos eu já me sinto mais preparada para lidar com as diversas situações do dia a dia. Medo a gente sempre sente, independente de ser uma pessoa segura ou não, faz parte de SER humano, de ser pai e mãe.

Para controlar esses medos eu procuro sempre confiar em Deus (cada um tem as suas crenças ou um ser em quem confia, mas o importante é ter fé e acreditar em algo).

 

12- Descobri que reclamar às vezes ajuda:

E faz parte! Pessoas do bem (e maldosas também), um recado: Quando você ouvir uma mãe reclamando de que está cansada ou de qualquer outra coisa, entenda, ela não está reclamando do filho, ok? E sim como qualquer outro ser humano da rotina, do cansaço, buscando atenção, etc. Nós podemos e devemos falar sobre o que sentimos, não somos diferentes e nem estamos sendo mal agradecidas.

 

13- Descobri que o meu “coração” não é mais meu:

Agora ele pertence ao meu filho! Descobri que existe uma pessoa mais importante que tudo nesse mundo, pela qual eu faço qualquer coisa. Ser mãe não existe explicação, é o amor mais forte, mais puro e intenso que existe, só sentindo e vivendo para entender. E por sentir tudo isso eu não consigo entender as “mães” que maltratam, me sinto muito, mais muito triste em saber que infelizmente elas existem.

 

14- Me tornei a pessoa mais feliz e agradecida desse mundo!

Aprendi a agradecer muito mais do que pedir! Descobri a minha verdadeira “vocação”, descobri o que é viver intensamente todos os dias. Descobri o que é fechar os olhos na cama à noite e me sentir completa!

 

Depois que os nossos filhos nascem, nós mudamos, nós crescemos, amadurecemos, nos tornamos muito melhores e até mesmo diferentes. Nossa vida, nossa casa, nosso mundo vira de “pernas para o ar”, mas com certeza ser mãe é a melhor coisa da vida, é amar e ser amado todos os dias!

 

Beijinhos!



4 Comentários em "14 mudanças e descobertas após me tornar mãe!"

avatar
Organizar por:   mais novos | mais antigos | mais votados
Edi
Visitante
Edi

As coisas realmente mudam e passamos a valorizar tudo que esta relacionado ao bem estar de nossos filhos e também vemos o quanto guerreiras são nossas mães.

Amanda Brambila
Visitante
Amanda Brambila

Só de Ler chorei.. a melhor coisa na vida e ser mamãe.. Amei o Post! beijos

Bárbara Braga
Visitante
Bárbara Braga

Gostaria de saber qual era a rotina… o que ele comia… como era a hora do sono… meu bebê tem 5 meses e não passa mais que 3 horas dormindo… precisa mamar.. poderia nos contar como era?! Desde já obrigadissima ❤️

Bárbara F
Visitante
Bárbara F

Oii, amo seu blog !! Mas como fez para que ele dormisse 12 hrs? Dava só peito? Como era a rotina…

wpDiscuz