Atraso na Fala

Atraso na fala: até que idade é considerado normal?

Olá mamães!

O post de hoje é sobre um tema que muitas mães (inclusive eu) sentem dúvidas (e enviam perguntas). Quando devemos ficar em alerta sobre os atrasos na fala no bebê?

Aqui em casa percebemos alguns atrasos na fala do Francisco (18 meses) e consultamos um especialista para tirar as nossas dúvidas e foi a melhor coisa que nós fizemos. Descobrimos que está tudo bem e esses atrasos são decorrentes de situações do dia a dia que precisávamos mudar. Com pequenas mudanças já percebemos diversas alterações positivas no comportamento do Francisco em apenas um mês (contarei isso em outro post detalhadamente).

Por esse motivo saliento: NÃO FIQUEM COM DÚVIDAS, é muito importante consultar um especialista se você perceber atrasos. Quanto mais cedo os pais começarem a trabalhar os atrasos da criança (ideal antes dos 2 anos ou assim que forem percebidos) maiores serão os benefícios para o seu desenvolvimento (minimizando possíveis problemas e atrasos futuros).

Convidei a fonoaudióloga Patrícia Simon para esclarecer as nossas dúvidas sobre o tema. Obrigada Patrícia pela participação, com certeza sua colaboração ajudará e orientará muitas mamães! Valorizamos muito sua atitude!

 

Atraso na Fala:

O atraso na fala pode ter origens diversas, como dificuldade de audição, atraso no desenvolvimento cognitivo, prematuridade ou mesmo falta de estímulos. Em alguns casos específicos, também, pode ser apenas timidez, quando a criança é capaz de se comunicar em alguns ambientes e, em outros, sente-se retraída.

Os cientistas acompanharam as crianças até a adolescência e descobriram que a demora em falar até os 2 anos não compromete a saúde mental dos pequenos. Eles podem falar centenas de palavras, com inúmeras variações, ou apenas dizer coisas isoladas, em pequenas frases. O perigo ocorre quando a interação e comunicação social não acontecem.

Os pais devem ficar atentos caso a criança não fale, não brinque e não olhe nos olhos da pessoa com quem está interagindo. O atraso na fala pode vir acompanhado de lentidão nas atividades de coordenação motora fina e de redução dos níveis de atenção, acarretando dificuldades de comportamento e controle de emoções. Nesses casos, é fundamental buscar um especialista.

Para estimular a fala das crianças, os pais podem apontar para objetos e solicitar respostas, incentivar por meio de jogos, contar histórias e manter o diálogo sempre.

 

O que o atraso na fala indica?

O atraso na fala é sempre preocupante, mesmo que seja considerado normal em função da faixa etária. Existem alguns sinais específicos que podem chamar a atenção dos pais para problemas de linguagem. Por exemplo, quando a criança não consegue pronunciar consoantes e vogais até os 8 meses ou apontar objetos até o primeiro ano de vida. Não dizer nenhuma palavra até os 16 meses também merece alerta, principalmente se não houver formas claras de expressão ou construção de pequenas frases.

Até os 3 anos, a linguagem infantil deve ser compreensível, mesmo que o pequeno apresente dificuldade de pronúncia. Os pais também devem prestar atenção às formas pelas quais os filhos se expressam. Se perceberem que o pequeno encontra dificuldade para se comunicar, exame de audição, cognição, desenvolvimento motor e linguagem e capacidade de integração são necessários. Os psicopedagogos podem detectar os sinais e recomendar outros profissionais para o tratamento.

 

Acompanhe o Desenvolvimento da Audição e da Linguagem de Seu Bebê:

0 a 3 meses: chora , se assusta, ou acorda com sons intensos e repentinos e acalma-se ao ouvir voz familiar.

3 a 6 meses: mexe a cabeça para os lados procurando localizar a origem do som. Emite alguns sons sem significado( balbucio).

6 a 12 meses: localiza sons de seu interesse virando a cabeça em direção ao som. Intensifica o balbucio.

1 ano: aponta e procura objetos e pessoas familiares quando solicitado. Emite as primeiras palavras.

1 ano e 6 meses: entende ordens verbais e usa palavras simples.

2 anos: aumenta seu vocabulário, usa sentenças combinando 2 ou 3 palavras.

Observação importante: Recomenda-se repetir o teste da orelhinha com 6 meses de vida do bebê.

 

*Para conhecer um pouco mais sobre o trabalho da profissional Patrícia Simon e dos demais membros da sua equipe você pode acessar o site da sua clínica clicando aqui. Recomendo-a, pois além de todo o conhecimento que a mesma possui, o seu trabalho é realizado com seriedade e comprometimento.

 

Atraso na Fala




Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz