Dicas para ajudar o bebê a dormir melhor a noite

Dicas para ajudar o bebê a dormir melhor a noite!

Bom dia, mamães!

 

Como foi a noite de vocês? Hehehe…

O Post de hoje “dicas para ajudar o bebê a dormir melhor a noite”, será uma espécie de resumo do post “Como ensinar o bebê a dormir a noite toda” (esse aqui). Após essa publicação, recebi e ainda recebo muitos e-mails e mensagens de mamães pedindo ajuda ou dicas para ajudar os seus bebês a dormir melhor à noite. Então, resolvi responder essas dúvidas com um novo Post cheio de dicas legais! Vamos às dicas para ajudar o bebê a dormir melhor a noite!

 

Antes de qualquer coisa eu quero deixar claro alguns pontos:

  •  Quando falamos em dormir a noite toda, isso não significa 12 horas de sono para todos os bebês, cada bebê tem um padrão de sono diferente, uns dormem mais e outros menos, Ok?
  • Livre-se de expectativas quando o assunto for NOITES DE SONO, pois mesmo que o seu bebê durma muito bem a noite existirão períodos em que ele irá acordar mais vezes durante dias e semanas (picos, saltos, dentes, febres, resfriados, etc) e isso é normal. Os bebês demoram entre 1 ano e meio a 2 anos para estabelecer um padrão de sono parecido com o de um adulto. Nesse período os bebês estão em intensos processos de desenvolvimentos e necessitam mamar mais, acordar, precisam de afeto e segurança.
  • Não de ouvidos para tudo que você ouvir de outros pais quando o assunto for dormir bem à noite. Muitos pais adoram falar que o filho dorme mais do que a realidade. Como se dormir bem a noite fosse sinônimo de ser bons pais.
  • Acredite, milagre em se tratando de sono de bebê não existe! Não tente seguir qualquer método que você ler ou ouvir por ai, filtre apenas o necessário.  DEIXAR O BEBÊ CHORANDO sozinho sem atendê-lo NÃO traz benefícios ou o torna mais autônomo. Totalmente pelo contrário, esse método pode tornar o bebê mais inseguro ainda, pois é através do choro que o bebê se comunica e expressa as suas necessidades. Se quando ele “chamar” ninguém o atender/ajudar ele poderá entender que não deve ou não pode confiar em seus cuidadores. Um dia ele realmente para de chorar (por não ser ouvido), mas até que ponto isso é saudável? Se informe sobre o assunto com quem realmente entende sobre ele.
  • Não tenha medo de choro! Ele irá acontecer, seja na hora de comer, na hora de brincar, na hora do banho, do cansaço e claro, na hora de dormir. Como eu disse não deixe o seu bebê chorando sozinho sem ser atendido, mas às vezes os bebês estão tão cansados na hora de dormir que choram desesperados até pegar no sono (mesmo abraçados em você). Fique calma e aja com tranquilidade, se ele sentir que você, que é a segurança dele, estiver desesperada ele ficará assim também. Se acalme e passe tranquilidade nesse momento.
  • Não se sinta frustrada se o seu filho não dormir tão bem quanto o bebê da sua prima. Sempre tenha em mente que as crianças são diferentes e o temperamento dos bebês tem muita  influência no seu padrão de sono. Aceite e ame o seu filho da forma que ele é. Logo ele crescerá e dormirá melhor.
  • Tenha paciência e seja muito firme em suas decisões.  Ensinar um bebê a dormir sozinho ou tirar costumes dele, principalmente se já estiver adaptado a certos padrões, demora certo tempo. Não desista em apenas uma semana.
  • E por último: BEBÊS são BEBÊS e não Mini Adultos, então, o perceba dessa forma. Não queira que o seu filho faça, sinta e compreenda o mesmo que você, para ele tudo é novo, tudo é diferente e aos poucos ele compreenderá as coisas. Bebês não têm pensamentos malignos: “hoje eu vou acordar às 4 horas da manha só para incomodar a minha mãe”. Se o seu bebê acordar durante a noite é porque ele está precisando de algo, seja amor, carinho, alimento, ele precisa se você. Seja amorosa e compreensiva!

 

Detalhes importantes na hora de dormir:

 

1- Não trate o seu filho como um sistema:

Não queira que o seu filho seja igual a todas as crianças que você conhece e jamais o trate dessa forma. É preciso lembrar que as crianças são criadas sob estímulos e ambientes diferentes, assim, acabam desenvolvendo comportamentos diferentes. Não compare o seu filho, respeite o seu tempo (mas, sempre prestando atenção em atrasos significativos) e em seu temperamento (mais bravo, mais calmo, mais agitado, mais tranquilo), a partir disso deposite as suas expectativas e trace suas ações!

Saiba que apenas observando o comportamento do seu filho você irá descobrir quantas horas de sono ele precisa para se sentir bem. Esqueça aquelas tabelinhas que dizem a quantidade de horas de sono que uma criança precisa em tal idade (elas geralmente coincidem, mas não existe um padrão estabelecido). Afinal, o seu filho NÃO É UM SISTEMA pré-programado.

Não se frustre se ele não dormir na hora que VOCÊ deseja ou a QUANTIDADE que você espera. Não se frustre se ele não sentar, caminhar exatamente na idade que as pessoas dizem ser a correta. Não antecipe fases por ansiedades e desejos que são apenas SEUS.

 

2- Conheça o seu bebê:

Dessa forma você descobrirá o que realmente funciona para ele e poderá adaptar novos conhecimentos na sua casa e rotina. Você será capaz de distinguis os diversos tipos de choro (fome, fralda, sono, exaustão, dor,etc.).  Será mais fácil descobrir o que ele está sentindo e desejando, simplificando muitas situações do dia a dia. Por exemplo: Você conseguirá identificar quando o seu filho está cansado e qual a hora certa de levá-lo para dormir (o que é muito importante e na maioria das vezes define a noite de sono).

Na hora do ritual do sono, algumas crianças precisam de ajuda para relaxar através de um banho quente com pouca luz, uma massagem e outras não tem paciência para isso.

Muitas “receitas” para fazer o bebê dormir bem só funcionam adaptadas ao jeito e ritmo da família. Não se esqueça de fazer as coisas sempre dentro da sua realidade e não na dos outros.

 

3- Estabeleça uma ROTINA:

A rotina de uma forma geral é muito importante para as crianças, para os adolescentes e até mesmo para os adultos. As crianças precisam de alguém que lhes oriente e lhes apresente uma direção. Elas sentem necessidade de antecipar as situações, de saber o que irá acontecer para relaxar. Isso traz tranquilidade, diminui a ansiedade e ensina que a hora de dormir está chegando.

 Mantenha um padrão: Quando você levar o seu filho para dormir, no horário certo (que ele sente mais sono) e ele começar a chorar, seja firme, fique no quarto, acalme-o, pegue-o no colo, mas não saia do quarto (mesmo que isso demore 1 hora). Não manter um padrão pode confundir o bebê e pode fazê-lo entender que para sair do quarto e voltar para brincar (ao invés de dormir) é só chorar que você o levará para a sala. Se ele se adaptar a isso tentará fazer todos os dias. Aja com muito amor, calma e paciência, pode ter certeza que ele sente tudo que você está sentindo.

 

4- Desligue a TV:

Depois das 18:00 horas e diminua o ritmo das brincadeira para não deixar o bebê muito estimulado antes de dormir.

 

5- Faça a “mamada dos sonhos”:

Mamada oferecida ao bebê com ele dormindo, no máximo até as 23:00 horas. A intenção dessa mamada é “encher o tanque” do bebê e evitar que ele desperte no meio da madrugada com fome, dormindo direto até de  manha. Observação: A “mamada dos sonhos” nos ajudou muito, mas ela por si só sem os demais passos pode não fazer muita diferença, lembre-se de que um detalhe completa o outro.

 

6- Tenha uma Chupeta como aliada:

Apenas para a hora de dormir, para acalmar o bebê e ajudar a identificar que a hora que ele sente sono é a hora de ir para a cama.

 

7- Comece da maneira que deseja manter:

Essa dica é simples, mas em longo prazo muda muito as coisas. Se você deseja ensinar o seu filho a dormir sozinho, comece dessa forma. Se você deseja dormir com ele (na sua cama) o ensine assim, mas sempre tenha em mente que da forma que você o ensinar ele (obviamente) irá aprender e sempre pedirá por aquilo.

Por exemplo: Nós ensinamos o Francisco a dormir na nossa cama, mesmo que sozinho, sem nanar. Depois de um tempo nós decidimos que seria melhor e mais confortável para ele dormir na cama dele. Esse processo foi mais difícil do que ensiná-lo a dormir sem ser no colo ou no seio, pois ele já estava maior e entendia mais as coisas (mesmo assim conseguimos).

“Verdade seja dita: Geralmente são os adultos, e não os bebês, que criam as situações difíceis. Como mãe (e pai), você sempre deve assumir o comando. Afinal, você tem mais experiência do que seu bebê! Apesar de os bebês nascerem com um temperamento próprio, as ações dos pais realmente fazem diferença. Independentemente do tipo do bebê, lembre-se de que os hábitos que ele desenvolve estão nas suas mãos. Pense no que você deve fazer” (parte do livro que cito no outro post, leia mais clique aqui).

 

Situações e motivos para o bebê acordar a noite:

 

Ciclos de sono: Porque não vincular a hora de dormir ao colo, música, mamadeira, etc:

O padrão de sono do bebê é diferente de um adulto (você já deve ter percebido isso hehe…). O bebê demora em média 20 minutos para entrar em sono profundo logo depois de dormir e a cada hora geralmente os bebês passam por ciclos de sono, passando desse estágio de sono profundo para o sono leve.

Nesses estágios eles se movimentam, trocam de posição na cama, às vezes emitem alguns sons e em 10 minutos se nada o estiver incomodando (como fome, barulhos, frio, calor) eles voltam a dormir em sono profundo. Muitas mamães relatam que os filhos acordam de hora em hora e o motivo é esse, a cada leve despertar o bebê  não consegue voltar a dormir sozinho e solicita ajuda.

Quando o bebê dorme ele registra em sua mente o último lugar (ou atividade) onde dormiu e a cada ciclo de sono a tendência é acordar (chorar, gritar) se ele não estiver no mesmo lugar.

Por exemplo: O bebê adormece mamando e o ciclo de sono dele ocorre a cada 2 horas. Todas as vezes que ele passar por esse estágio ele irá acordar querendo voltar para o seio, mamando 2, 3 ou 4 vezes durante a noite (deixando a mamãe quase “louca). Outra situação comum: Fazer o bebê dormir no colo e o colocar na cama em sono profundo, a cada ciclo ele pode acordar solicitando o colo novamente. Esse com certeza é um dos motivos mais comuns para o bebê não manter o sono durante a “noite toda”.

Como resolver esse “pequeno” (e mais difícil) detalhe?  Os pais precisam analisar o todo. Podem refletir algumas perguntas:

    • Como vocês estão fazendo o bebê dormir? Ele dorme mamando? Ele dorme no colo?
    • Como são os ciclos de sono do bebê (de 1 em 1 hora, 2 em 2…)?
    • Como está a alimentação do bebê durante o dia?
    • Ele está indo dormir na hora certa (que expressa mais sono)?
    • Será que ele está indo dormir muito cansado, já “passou do ponto” e você perdeu a “janela do sono” (leia mais sobre isso no post que indiquei no início)?
    • Será que ele não está passando por um pico de crescimento?
    • Será que ele não está superestimulado?
    • Qual o temperamento do seu bebê?
    • O bebê já tem uma rotina estruturada?
    • Se o seu bebê for pequeno, você está ensinando a ele o que é dia (dormir no claro e com os barulhos naturais da casa)? E o que é noite (escuro e silêncio)?
    • Quando o seu filho começa a se mexer na cama, você já sai “correndo” para ver se está tudo bem? (às vezes os bebês acordam quando interferimos demais durante a passagem de um ciclo de sono para outro, preste atenção).

 

Influência da alimentação:

Quando os bebês se alimentam bem durante o dia, eles sentem menos fome durante a noite. Até hoje aqui em casa é assim, se o Francisco fez todas as refeições (almoço, janta e lanches) a noite ele não acorda para mamar. Se ele pulou alguma refeição ou comeu menos em alguma, pode ter certeza que a meia noite ele vai querer mamar.

Cuide para não oferecer o jantar do seu bebê muito tarde.  Aqui em casa percebo que se o Francisco jantar muito tarde ele se movimenta a noite toda, pois o seu organismo não teve tempo suficiente para fazer digestão. Consequentemente ele acabava se alimentando demais, pois além do jantar ele toma uma mamadeira de leite antes de dormir.

O melhor horário para oferecer o jantar para os bebês é das 18:00 horas até no máximo as 19:00 horas (dica da nossa pediatra comprovada na prática). Outro detalhe importante é cuidar para não oferecer coisas muito pesadas à noite ou até mesmo alimentos laxativos. Cuide também para não oferecer alimentos novos durante a noite, deixe as novidades para o dia. Dessa forma, você saberá e acompanhará as reações que determinado alimento causa no seu bebê.

 

Falta de rotina:

Como já expliquei ela é muito importante e ensina o bebê que a noite é feita para dormir. O ajuda a entender que a hora de dormir está chegando. Crianças sem rotina se sentem confusas e tem dificuldade em manter um padrão de sono todos os dias.

 

Picos de crescimento, saltos de desenvolvimento e dentes:

Esses são os períodos que mais incomodam os bebês (e os pais) principalmente até os 17 meses de vida. São fases passageiras, mas que acabam refletindo intensamente durante a noite. Já escrevi um Post sobre esses picos e saltos. Se você não conhece muito sobre o assunto e mesmo se já ouviu falar vale muito a pena ler para entender um pouco mais. Clique aqui para ler.

Os dentes deixam os bebês muito irritados e podem começar a incomodar até 2 meses antes do dente realmente nascer (que ótimo!!!).

 

Cansaço excessivo:

Se o seu bebê passar da hora de dormir ou “perder a janela do sono” (momento em que ele sente mais sono e apresenta vários sinais) ele ficará extremamente cansado ou superestimulado e irá resistir para pegar no sono. Quando ele finalmente conseguir dormir, a noite poderá ser um pouco agitada. Descubra qual o horário biológico do seu filho e coloque-o para dormir todos os dias nesse horário. Dica: Tente colocar o seu filho dormir cada dia meia hora mais cedo até descobrir qual é o horário dele.

 

Como identificar os sinais de sono:

  • O bebê boceja igual aos adultos e geralmente três bocejos é o ponto em que ele está pronto para dormir, muito cansado.
  • Diminui a capacidade de concentração,
  • Coça os olhos,
  • Alguns bebês puxam a orelha, colocam o dedo no ouvido ou arranham o rosto,
  • Permanece com o olhar fixo em apenas uma direção,
  • Esconde o rosto no seu corpo, tentando bloquear os estímulos,
  • Perde o interesse pelos brinquedos e pelas atividades que está desenvolvendo, todas se tornam insuficientes,
  • Prende-se a você, quando tenta colocá-lo no chão para brincar ou caminhar,
  • Quando já caminha ou engatinha, diminui a capacidade de coordenação, tropeça nos brinquedos, cai, etc.
  • Choraminga levemente enquanto faz tudo isso (e aos poucos vai se tornando um choro mais forte).

Observação: Cada bebê tem um jeitinho para expressar o sono, mas a maioria faz vários desses sinais. Observe e aprenda qual o jeito que o seu filho expressa que está cansado.

 

Perguntas Frequentes:

 

Como ensinar o meu bebê a dormir sem mamar?

Se o seu bebê já tem mais de três meses cada costume que ele adquiriu pode demorar em média de 15 a 30 dias para mudar. Lembre-se de que isso é um processo lento.

Se o seu bebê tiver menos de 3 meses é mais fácil e em uma semana já é possível mudar essas “manias”.

Como nós fizemos: Já escrevi isso no outro Post, mas se você está chegando agora, vou contar brevemente. Meu filho até o 4º mês de vida acordava todos os dias a noite toda e só dormia novamente mamando.

Primeiramente eu parei para analisar todas as possíveis influências/costumes que ele tinha na hora de dormir. Comecei a desvincular o peito/mamadeira durante o dia. Fui tentando e fazendo isso com calma para não me estressar e consequentemente estressar ele.

Quando o Francisco começava a pegar no sono eu o trocava de seio, conversava com ele, o tirava do peito, assim que acordava retornava. Aos poucos fui inventando formas de mantê-lo acordado. As vezes a gente está tão cansada que prefere os deixar dormindo no seio para poder descansar um pouco, mas se pararmos para pensar, não seria melhor dormir a noite toda? Foi nisso que eu foquei. Se existisse a possibilidade de mudar, valia a pena o esforço.

Depois que ele aprendeu bem a mamar sem dormir durante o dia, comecei a fazer isso durante a noite. Foi um processo lento e natural, ele foi aprendendo aos poucos. Depois que eu consegui desvincular o peito/mamadeira da hora de dormir ele parou de acordar a cada pouco solicitando leite (apenas quando realmente estava com fome).

2 Motivos para fazer isso:

1-Quando a criança dorme mamando ela mama menos do que precisa e consequentemente acorda mais vezes para mamar, até saciar a sua fome.

2- Todas as vezes que a criança despertar a noite ela irá acordar e querer voltar ao seio, lugar onde dormiu.

 

Como ensinar o bebê a pegar no sono sozinho e na cama?

Novamente eu fui ensinando o Francisco aos poucos. Primeiro eu testei alguns lugares diferentes do colo para o Francisco dormir e pegar no sono sozinho, sem o seio ou outra influência. E foi no bebê conforto acoplado no carrinho que eu consegui. Primeiro eu comecei balançando um pouco mais rápido, depois mais lentamente e por último parei de balançar.

Nos primeiros dias eu o deixava dormir no carrinho e somente depois o colocava na cama. Depois eu comecei a levar ele para dormir exatamente no horário certo, sonolento (mas ainda acordado) na cama. Para ajudar ele a dormir eu passava as mãos nas suas costas, nos cabelos ou dava leves “tapinhas” para embalar e “cantava” xiiiii xiiii (até hoje as vezes faço esses sons). Logo ele começou a aprender a pegar no sono sozinho e isso sim mudou tudo. Como isso ajuda? Todas as vezes que a criança tiver um leve despertar a noite conseguirá voltar a dormir sozinha, pois ela não precisa de ajuda para pegar no sono.

Observação: Para ler o método que me baseei para ensinar o Francisco a pegar no sono sozinho, leia o Post completo ou apenas essa parte “Método “Pick Up/Put Down”, clicando aqui.

Como dar a mamada dos sonhos?

É simples, quando o bebê passar de um ciclo de sono para outro, assim que ele começar a se movimentar (mais ou menos no horário, entre as 23:00 horas) ofereça o leite para ele dormindo, não o acorde. Pegue-o no colo ou se ele tomar apenas mamadeira (e for maior) dê o “mama” na cama com o apoio de travesseiros. Faça isso da forma que você achar conveniente. Naturalmente o bebê irá abrir a boca ao senti o seio ou a mamadeira. Nas primeiras vezes pode ser mais difícil, mas depois vai se tornar cotidiano.

 

Como ensinar o meu filho a dormir na própria cama ou no quarto sozinho?

Essa é uma das perguntas que eu mais recebo e infelizmente não existe uma fórmula mágica (se existisse seria incrível hehe) para fazer isso, apenas dicas e a boa e velha prática (tentativa/erro/acerto).

Se o seu objetivo é ensinar o seu bebê a dormir no quarto dele desde os primeiros meses, é interessante colocá-lo em seu quarto até o 3º mês de vida. Até essa fase os bebês não adquirem costumes e é mais fácil adaptá-los a qualquer coisa.

Depois do 3º mês: Gradualmente ir ensinando o bebê que a sua cama é o lugar ideal para dormir, sem deixá-lo chorando sozinho. Você pode colocar um “amigo de pelúcia” que o seu filho gosta na cama ou berço para ele se sentir mais seguro.

Nós novamente fizemos de um modo alternativo: Começamos a fazer o Francisco dormir na nossa cama (como sempre) e somente depois que ele dormia em sono profundo o colocávamos no berço. No início ele estranhava, acordava chorando toda manhã.  Depois de algumas semanas ele parou de estranhar e de chorar. Já ficava no berço sozinho e acordado esperando a gente acordar. Depois que percebemos que ele estava se sentindo mais seguro, nós começamos a deitá-lo direto na cama dele para dormir. Aos poucos ele começou a e se adaptar e ligar o seu berço a hora de dormir, foi se tornando algo normal e natural para ele. Esse processo levou em torno de 1 mês para acontecer.

Mas, uma das coisas que aprendi depois que me tornei mãe é que algumas coisas quando não funcionam bem precisam ser adaptadas ou mudadas. Depois que o Francisco aprendeu a dormir em seu berço, nós percebemos que ele não dormia tão bem quanto na cama e o problema não era a nossa presença, pois se dormia em nossa cama sozinho era outro sono já. Então, resolvemos mudar novamente (fazer testes) e criamos uma cama montessoriana (cama no cão) para ele no chão do nosso quarto. Foi mais ou menos como milagre, no primeiro dia já começou a dormir super bem e mais seguro, nunca pedia para subir na nossa cama, adorava o espaço dele. Dormiu nessa cama até completar 17 meses, quando decidimos (por diversos motivos) que era hora dele começar a dormir sozinho em seu quarto. Esse processo conto nesse post.

 

Tem algum problema compartilhar a cama com o meu filho?

Do ponto de vista psicológico, nenhum. Diferente do que muitas pessoas pensam, as crianças que dormem com os pais não se tornarão dependentes deles ou adultos inseguros por causa disso. Pelo contrário, quanto mais amor, carinho e apego SEGURO uma criança desenvolver com os pais, mais segura ela será e compartilhar a cama possibilita ainda mais essa relação. É importante lembrar que a partir do momento que você escolher compartilhar a cama ou o quarto com o seu filho você estará abrindo mão da sua liberdade (trabalhar na cama, assistir TV, conversar com o marido, pegar suas coisas, falar alto) e isso deve ser muito bem avaliado. Devemos sempre começar da maneira que desejamos manter.

Por questões de segurança os pais devem tomar alguns cuidados se desejam dividir a cama com os filhos. Devem cuidar para o bebê não se jogar e cair da cama, pois quando eles começam a se movimentar mais e engatinhar se torna perigoso (não se iluda pensando que os bebês estão seguros apenas no meio dos pais,  algumas crianças são mais agitadas e escalam qualquer obstáculo e os pais de tanto sono não percebem).

Os pais devem cuidar também para não rolar sobre o bebê. Uma dica é encostar a cama em uma parede, reservando um canto só para o bebê, dividindo com travesseiros o espaço que o bebê dorme dos pais. O ideal é ter esse espaço e protetores (grades) no final da cama.

Eu defendo a cama compartilhada, amava dormir com o Francisco, mas quando ele era pequeno a nossa cama se tornou perigosa para ele,  pois caiu uma vez e tentou se jogar outra mesmo com a gente na cama. Ele se movimenta muito durante a noite, a cada ciclo de sono troca de posição enquanto dorme. Além de não ser seguro não era confortável para nós três, no final ninguém dormia direito. O que nós fizemos foi colocar o seu berço em nosso quarto e depois como relatei uma uma cama no chão. Hoje, particularmente eu prefiro dormir cada um em seu quarto por diversos motivos. Eu apoio a cama compartilhada para quem gosta, mas não faria isso novamente por uma questão de conforto e liberdade.

Observação: Não estou falando que a criança que dorme sozinha em seu quarto será insegura (só estou esclarecendo uma dúvida muito frequente que é o “tal” mito da cama compartilhada.), pois ela não recebe o mesmo amor que a criança que dorme com os pais. Isso também não é verdade. A única coisa que realmente importa é a criança ter e desenvolver um apego SEGURO com os pais, receber o amor, carinho e a segurança que necessita, o resto é resto. Outro detalhe: Os pais que ao londo do tempo desenvolverem uma relação de apego INSEGURO (superproteção, faltas emocionais, falta de relações sociais,  etc.) com os filhos compartilhando a cama ou não podem de diversas formas afetar o desenvolvimento dos seus filhos. É importante deixar claro que não é culpa da cama compartilhada (ou de qualquer outro detalhe) que as crianças desenvolverão inseguranças ou dependências e sim da relação que elas desenvolveram com os seus pais. O ideal é sempre manter um equilíbrio na forma que criamos os nossos filhos, sempre desenvolvendo uma relação muito forte de amor, carinho e confiança.

 

Se ainda ficar alguma dúvida sobre o assunto (e quem sabe eu puder ajudar) escreva sua dúvida nos comentários (não esqueça de conferir depois)! Assim que eu conseguir responderei com o maior prazer!

 

Beijinhos!






4 Comentários em "Dicas para ajudar o bebê a dormir melhor a noite!"

avatar
mais novos mais antigos mais votados
Amanda
Visitante
Amanda

Ana! Obrigada pelo Post e obrigada por ter respondido meus 1000 e-mails! Nossa vida está mudando por sua causa! Muita sorte na sua vida! obrigada. Beijooo

Katia
Visitante
Katia

Oii. Minha filha tem 7 meses e eu estou ficando quase louca. Faço dormir no colo e mamando, nem tenho muita rotina. tenho sofrido muito, encontrar o seu post foi muita sorte. Já percebi que do jeito que eu estou fazendo nada vai mudar. Muito obrigada pelas dicas.Tenho uma dúvida. Quando você colocava o seu filho do carrinho pro berço, quanto tempo demorava pra fazer isso? Pq as vezes mexo na minha filha e ela já acordaberrando. Me ajuda. bjux

Aline
Visitante
Aline

Posso curtir mil vezes? Sigo seu Blog desde o começo e adoro Post sobre sono, pois sofria muito aqui em casa. No outro post eu já consegui mudar algumas coisas e sabe, me senti bem melhor lendo isso que escreveu nesse. Eu percebi que minha filha dorme bem, dorme 8 horas, as vezes 9. Ela só não dorme como eu gostaria. Mas acorda muito bem e está sempre saudável. Me senti muito bem e confortada lendo isso. Todas as mamães deveria saber que os seus filhos não são máquinas, elas se sentiriam muito melhores. Obrigada por dividir! Um grande beijo.

Jaque
Visitante
Jaque

Adorei o post Ana…..li quando você postou……ótimas dicas…bjaoooo