O que você quer ensinar para seu filho?

Olá mamães!

 

O post de hoje revive as raízes desse blog, onde eu postava meus sentimentos frente a maternidade quase diariamente e com o tempo acabei fazendo isso apenas lá no instagram, mas depois de ler muitos comentários de vocês meus seguidores queridos, esse blog precisa voltar a ativa e a suas raízes.

Hoje, depois de 4 anos (e alguns meses) que me tornei mãe a minha visão sobre a maternidade mudou muito e claro, eu evolui absurdamente como mãe a até mesmo como profissional (algo que ocupa uma grande parte da mulher que sou hoje). Enfim, hoje acordei olhei para uma foto linda dos meus filhos brincando felizes e muitas coisas surgiram em minha mente…

 

O que você quer ensinar para seu(a) filho(a)?

 

Quando olho para meus filhos sinto um misto de emoções. Fico encantada com a alegria, a pureza nos olhos deles e a felicidade nos seus movimentos. Fico encantada com a educação e o desenvolvimento deles! Meus olhos podem não se encher de lágrimas todas as vezes que os olho, mas se enchem de orgulho e felicidade!

Não sou o tipo de mãe que pensa que seus filhos são perfeitos (aliás, quem me acompanha sabe que eu não acredito em perfeição). Não sou o tipo de mãe que acha normal quebrar as regras, pelo contrário ensino que regras são feitas para serem seguidas e cumpridas. No futuro isso fará toda a diferença. É o que diferencia o comportamento de muitas pessoas em nossa sociedade.

E diferente do que muitos pensam a criatividade das pessoas não se desenvolve na liberdade total da expressão e sim na liberdade direcionada para os focos corretos. Nos incentivos, nas estimulações e na influencia do mundo que nos cerca.

Os meus filhos são muito criativos, dinâmicos e independentes. Dormem bem, seguem uma boa rotina, quando precisam realizar  atividades dificilmente brigam, gritam ou choram (exceto algumas pequenas situações: sono, fome, dor, etc. Inclusive percebemos que não estão bem quando choram e brigam sem motivos). Aqui em casa resolvemos todos os conflitos com diálogo, desculpas e obrigados. Francisco e Antônio simplesmente sabem o que precisa ser feito e fazem, é natural para eles.

A grande diferença é que eles CONFIAM em nós e em nossas decisões. Eles sentem o nosso afeto, percebem todo nosso empenho diário e sabem que tudo que fizemos é o melhor pra eles. As crianças tem uma sensibilidade muito grande, elas percebem as situações mais rapidamente que nós e aprendem com pequenos detalhes, detalhes que você nem imagina!

Crianças seguras são menos ansiosas e mais confiantes e isso pode até parecer pouco hoje, mas em longo prazo fará muita diferença na forma que seu filho(a) adolescente ou adulto(a) perceberá o mundo ao seu redor e baseado nisso tomará suas decisões. O tempo de educar e definir como as coisas serão no futuro É AGORA.

O meu objetivo como mãe é criar os meus meninos cheios de confiança, independência, com muito amor e respeito pelo próximo. Não quero apenas deixar as coisas acontecerem acidentalmente (uma paternidade acidental) da forma que os meninos guiados pela sua imaturidade e pouca idade decidirem.

Eu quero que eles conheçam os melhores caminhos, que se descubram sozinhos, que errem, mas que tentem acertar da próxima vez. Que se frustrem, mas que levantem a cabeça logo em seguida. Que conquistem ao longo de suas vidas o equilíbrio emocional, que sejam fortes quando necessário e sensíveis quando preciso. Que diante de uma situação complicada saibam agir com paciência. Que respeitem o próximo, sempre reconhecendo seus limites.

Eu quero que eles saibam reconhecer quando uma boa oportunidade chegar, mas para tudo isso acontecer, no início de suas vidas (hoje) eles precisam ser guiados por um adulto que tenha mais maturidade que eles. Novamente, que as coisas não aconteçam de forma acidental.

Então, a melhor dica que posso lhes dar essa semana é: curta seus filhos(lhas), preste atenção neles(las), descubra algo divertido para vocês fazerem juntos(tas). Explique as regras, converse, não tenha medo de dizer não ou de não agradar o tempo todo.

Não faça tudo apenas por obrigação. Não seja apenas uma mãe ou um pai que olha para o relógio e espera o tempo passar. Não viva apenas pelos momentos de descanso, aliás, se você se sente assim constantemente talvez algumas coisas precisem mudar. Se sentir cansado é normal (e esperado quando se tem filhos pequenos), mas sentir que tudo lhe cansa ou não lhe causa prazer é um alerta, nesse caso, não deixe de buscar ajuda profissional!

Enfim, pense, se precisar mude, mas não se acomode, não tenha medo de admitir que as coisas podem melhorar e tenha a certeza de que VOCÊ É CAPAZ DE MUDAR o que desejar na sua vida, só precisa começar e hoje é o melhor dia para isso!

 

Afinal, o que você quer ensinar para seu(a) filho(a)?

Até a próxima!




avatar