filho acorda noite

Por que meu filho ainda acorda a noite?

Olá pessoal!

 

Com certeza essa é uma das perguntas que eu mais recebo por e-mail, pelo “face”, em todas as redes sociais: por que meu filho acorda a noite? Muitas vezes eu não consigo responder a todos rapidamente (ainda mais agora no final da gravidez). Então, para tentar ajudar o maior número de mamães que eu puder resolvi escrever um post bem completo apenas respondendo essa pergunta. São dicas, observações e conhecimentos teóricos que adquiri ao longo desses 22 meses como mamãe e como profissional.

Se você chegou até meu blog agora provavelmente você ainda não leu meus outros posts ou assistiu o meu vídeo sobre “como ensinar o bebê a dormir a noite toda”. Eu considero interessante assistir ou ler alguma dessas publicações para ter uma base e entender um pouco mais sobre o assunto. Você pode assistir o vídeo clicando aqui e ler os posts clicando aqui e aqui e aqui.

Dica inicial: Em primeiro lugar é preciso ter em mente que cada criança é diferente, portanto, o sono de cada uma também será. Livre-se de expectativas e aprenda a conhecer o seu filho como ele realmente é (não se baseie no filho dos outros), os seus ciclos de sono (explico isso ao longo do post) e o horário biológico que ele sente mais sono (hora de ir para cama – “janela do sono”). É importante ficar claro que: algumas crianças dormem 12 horas à noite e outras 10. Cada uma tem uma necessidade diferente (mesmo algumas pesquisas sugerindo que o tempo ideal que todas as crianças deveriam dormir para se sentirem bem seriam 12 horas).

 

Motivos e situações que podem estar atrapalhando o sono noturno no seu filho:

Existem muitos motivos para um bebê acordar a noite, geralmente é um conjunto de fatores e não apenas uma situação. Então, descrevi abaixo as causas mais comuns e frequentes que colaboram para os despertares noturnos. Analise-as todas com muita atenção, pois tem muitas informações importantes em cada item:

 

Pegar no sono sob alguma influência:

No colo/sendo nanado, mamando, no carrinho, na rede, ouvindo música, assistindo desenho. etc. Esse com certeza é um dos principais motivos para os bebês não manterem o sono a noite e despertarem diversas vezes. A explicação é simples e biológica: Os bebês precisam aprender a se acalmar sozinhos, pois o sono deles é um pouco diferente do nosso. Eles passam por vários ciclos de sono: primeiro, logo que adormecem eles entram em sono profundo e depois passam para o estágio de sono leve. Se alguma coisa o estiver incomodo nessa passagem de um ciclo para outro (profundo – leve – profundo, geralmente ocorre de 2 em 2 horas ou 3 em 3 horas) os bebês tendem a acordar e chorar, pois, sentem sono, mas despertaram por algum motivo.

E porque isso acontece? Os bebês gravam em sua mente o último local que dormiram. Se eles não estiverem nesse local durante a passagem de um ciclo para o outro eles podem estranhar e acordar.  Então, se o bebê dormir no colo, por exemplo, em cada passagem de ciclo ele irá querer voltar para o colo, se ele dormir mamando toda vez que acordar irá querer mamar/sugar para voltar a dormir (não significa que ele está com fome). Se ele dormir ouvindo música, pode estranhar o silêncio. Se ele dormiu no carrinho e acordou no berço pode se assustar.

Eu sei que muitas mamães acham que ensinar os seus filhos a dormir sem a maioria dessas influências é uma “missão impossível” ou que o seu bebê não consegue aprender, mas reflita um segundo algumas coisas importantes:

  • Primeiro: Como você dorme? Como os adultos dormem? Geralmente vamos deitar apenas quando sentimos sono, mais ou menos todos os dias no mesmo horário (não quando alguém decide que devemos sentir). Deitamos na cama, fechamos os olhos, nos movimentamos ou permanecemos parados até conseguir nos acalmar e pegar no sono (algumas pessoas adquiriram hábitos de ler antes de dormir, ouvir música, assistir TV, mas no final deitam-se e dormem sozinhas). As crianças são iguais nesse ponto, nós é que lhes ensinamos outras formas de pegar no sono. Por que necessariamente elas precisam pegar no sono sob alguma influencia (por exemplo: sendo nanadas)? Por que elas não podem aprender assim como nós a se acalmar sozinhas se isso é um processo natural?
  • Segundo: Nós ensinamos aos nossos filhos tudo aquilo que queremos (coisas boas ou não), eles não nascem sabendo ou entendendo o que é melhor para eles. A verdade é que quando os bebês nascem tudo é novo e estranho. Dormir a noite é como mamar, como dormir sozinho, é como aprender o que é dia e noite, nada mais é do que um processo de adaptação que vai ocorrendo aos poucos. Tenha paciência e se possível ensine as coisas que você deseja manter ao longo do tempo desde o início da maneira correta. Com o tempo e a maturidade o seu bebê aprenderá e adquirirá esses hábitos (se ele for recém nascido até o 3º mês já manterá um padrão).
  • Terceiro: Os bebês tem uma capacidade incrível de adaptação e de aprendizado, é errôneo (e na maioria das vezes por cansaço mesmo) falarmos que um bebê não aprende, não é capaz, não quer adquirir determinado conhecimento. Toda nova adaptação geralmente demora de 15 a 30 dias para acontecer. O importe é não desistir, manter-se firme no que você está ensinando, confiar em si mesmo e entender que nas primeiras vezes o bebê irá chorar (e você o acalmará), afinal, ele está estranhando, é algo novo e essa é a única forma que ele sabe para expressar o que sente. Não significa que ele não quer ou não gostou, apenas estranhou.
  • Quarto: Bebês mais velhos aprendem a dormir da mesma forma, a única coisa que muda é o tempo que essa adaptação demora para ocorrer: Um bebê antes de 3 meses demora em média 1 semana para se adaptar (pois, até o 3º mês ele teoricamente não adquire costumes) e um bebê com mais de 3 meses em média 1 mês.
  • Quinto: Encontre seu próprio método de ensinar o seu filho a pegar no sono sozinho. Por exemplo: algumas mamães para desvincular o colo da hora de dormir passam a ensinar o bebê a dormir no carrinho, primeiro nanando, depois param de nanar. Depois passam para a cama. Outras ensinam em suas camas e depois colocam no berço, depois passam para o berço. Cada uma encontra a sua maneira e o que funciona melhor para o seu filho. Seguir qualquer método a risca pode nos frustrar muito e não dar certo, pois nem todas as crianças são iguais, o que funciona para uma pode não funcionar para outra. É preciso conhecer o seu filho e ir testando o que funciona melhor para ele, lembre-se que é errando que se aprende.
  • Sexto: Tenha calma! Ensinar o bebê a dormir (como qualquer outra coisa) é um processo lento, é uma construção e a forma que você lidar com a situação terá muita influencia no processo. O que você estiver sentindo o seu filho também sentirá, se a hora de dormir for um momento angustiante, ansioso, se você ficar muito nervosa, é possível que esse momento seja assim para o seu filho também. Novamente: Em primeiro lugar conheça o seu filho. Depois que você já entender os seus horários e um pouco do seu temperamento desvincule um costume de cada vez, nunca todos ao mesmo tempo.  Por exemplo: primeiro ensine ele a dormir sem mamar, depois que aprendeu isso, desvincule a hora de dormir do colo, etc.

 

Rotina desestruturada:

Os bebês e crianças naturalmente precisam de uma rotina para se sentir tranquilos, pois sentem necessidade de antecipar as situações, saber qual será o próximo passo, o que irá acontecer. Eles precisam de direção para se sentir seguros e confiantes. Quando isso não ocorre o bebê se sente “perdido” e as principais consequências são refletidas diretamente na noite de sono (e em birras). Por exemplo: o bebê dorme muito tarde, pois não sabe qual é a hora de dormir, cada dia é em um horário. A criança pode tornar-se mais assustada, insegura, ansiosa. Enfim, o bebê que tem rotina geralmente já sabe que depois do “ritual do sono” (preparação para dormir) é hora de se acalmar e ir para a cama. Dica: mantenha todos os dias a mesma rotina não importa o que aconteça (mesmo que você viajar mantenha os horários de banho, jantar, etc.) até seu filho se adaptar bem a ela (até 12 meses é importante manter o máximo que conseguir).

 

Perda da “janela do sono”:

Todo bebê tem um horário biológico que sente mais sono, geralmente entre as 19:30 até as 21:00. E é muito importante aprender a identificar esse momento. Os bebês demonstram isso de maneiras diferentes: alguns coçam os olhos, as orelhas, bocejam, ficam mais chorosos, chateados, bravos, com o equilíbrio comprometido, puxam os cabelos, etc. Se os pais não identificarem esse horário e deixarem passar a hora certa de colocar o bebê na cama, as consequências podem durar a noite toda: os bebês ficam superestimulados, choram muito até pegar no sono (tão cansados que não conseguem dormir) e agitados a noite toda (se movimentam ou acordam várias vezes). Outra situação é: escolher um horário aleatório para colocar o bebê dormir e ele não estar com sono: ficará horas se movimentando ou chorando até vir o sono. Dica: para descobrir esse horário tente cada dia meia hora mais cedo.

 

Fome:

Esse é um dos detalhes que mais confundem os pais, pois quando os bebês acordam a noite toda mãe/pai de primeira viagem geralmente (até conhecer melhor o seu bebê) tem dificuldades para distinguir os choros e logo, a primeira impressão é: acordou com fome! Oferecem leite todas as vezes que o bebê acorda, algumas mães chegam a dar mama de hora em hora.

O bebê mesmo sem fome mama, se acalma e dorme, pois naturalmente os bebês nascem com o instinto de sugar para se acalmar (por esse motivo a chupeta funciona em muitos casos). Muitas vezes os bebês acordam por outro motivo e acabam mamando, ficando muito cheios, com gases, cólicas, causando mais desconfortos e acordando mais vezes ainda. Isso se torna um ciclo: acorda, mama, sente cólica, mama, vomita, sente dor, mama, etc. Então, volto ao ponto: será que é fome mesmo? Será que seu bebê não está acordando por outros motivos? Lembrando que isso vale para os bebês com mais de 3 meses, pois, principalmente no primeiro e no segundo mês os bebês realmente acordam por necessidade para mamar (a noite no máximo de 3 em 3 horas e durante o dia de hora em hora).

Dica: Para ajudar o seu bebê a não acordar por fome durante a madrugada, você pode iniciar a “mamada dos sonhos”. Por exemplo: o bebê dorme as 21:00 horas e geralmente acorda a 1:00 hora ou 3:00 horas para mamar por fome mesmo. Se você antecipar essa mamada para as 23:00 horas ele não acordará durante a madrugada. Muitos bebês permanecem mamando a noite por algum tempo e a mamada dos sonhos organiza e prolonga nosso sono.

Como fazer? Ofereça uma mamadeira ou o peito para o bebê ainda dormindo, sem que ele acorde até no máximo as 23:00 e o coloque para dormir novamente (nas primeiras vezes ele pode estranhar, mas logo aprenderá, pois sugar, como falei, é instinto!). Se o problema for fome ele não acordará mais durante a noite (até 12 meses eles mamam geralmente apenas as 6:00 ou 7:00 horas da manhã novamente). Faça isso até você sentir que o seu filho sente necessidade de mamar a noite (mas, por fome, não por costume).

Aliás, quando preciso tirar as mamadas noturnas? Muitos especialistas dizem que os bebês depois do 3º mês já não sentem mais necessidade fisiológica de mamar a noite e já podem ficar 12 horas sem mamar. Mas, na vida real, no dia a dia, não é exatamente isso que ocorre, pois as crianças são diferentes e tem necessidades diferentes. Segundo a teoria que me baseei para ensinar meu filho a dormir e segundo o que acredito, não devemos tentar a todo custo tirar o leite noturno de uma criança que claramente sente essa necessidade. Devemos apenas organizar os seus horários de mamada (mesmo que durante o dia o bebê mame em livre demanda). Quando o bebê estiver pronto (geralmente próximo aos 12 meses) ele vai “largar” esse leite de maneira natural, mas é importante prestar atenção nos sinais que ele lhe dará para saber quando essa hora chegar (as vezes acabamos não percebendo esses sinais por costume ou cansaço).

O meu exemplo: Iniciei a mamada dos sonhos com 4 meses. Dava mama para o meu Francisco ainda dormindo as 00:00 (pois, eu dormia tarde) e ele acordava novamente apenas as 6:30 ou 7:00 horas da manhã (e voltava a dormir até as 9:30-10:00 horas). Quando estava com 10/11 meses eu comecei a perceber que quando ia lhe oferecer a “mamada dos sonhos” ele mamava apenas 30/40ml e já queria voltar a dormir. Comecei a não lhe oferecer mais e se ele solicitava eu lhe dava água, pois senti que já estava pronto para largar essa mamada. Em 1 semana ele parou de solicitar totalmente. Com 13/14 meses largou a mamada da manhã e passou a dormir direto sem mamar  por 12, 13 horas.

 

Alimentação diurna:

Continuando o assunto fome… A alimentação durante o dia tem muita influencia sob a noite de sono. Se o bebê se alimentou mal ou pouco durante o dia, a noite, como consequência ele poderá sentir mais fome e acordar diversas vezes para mamar, pois não recebeu todos os nutrientes que necessitava. Então, se você perceber que o seu filho acorda a noite por fome mesmo, se pergunte: Como foi o “café”/lanche/mamada da manhã? Fez os lanches da tarde? E a janta? Lembrando que (segundo o ministério da saúde) até 2 anos é muito importante que as crianças não fiquem mais de 3 horas sem comer.

 

Ser interrompido a cada movimento ou ciclo de sono:

Os bebês geralmente tem um sono mais agitado que o nosso, eles gritam, resmungam ou se movimentam muito. Às vezes os bebês chegam a chorar segundos e param. Alguns procuram a chupeta pela cama e quando a encontram se acalmam e voltam a dormir sozinhos. Então, é interessante sempre aguardar alguns momentos antes de “sair correndo” para ver se realmente a criança acordou e precisa mesmo de ajuda. Quando isso acontece geralmente o bebê está apenas passando de um ciclo de sono para o outro, momento onde o sono fica muito sensível. Se a criança for interrompida pode acordar nervosa, chorando, cansada e assustada (e até se adaptar a esse despertar). Sempre respire fundo, acalme-se, analise, avalie e se realmente for preciso vá até seu filho. Também, nunca o deixe chorando desesperado, pois esses métodos apenas calam o bebê (e seus sentimentos), não ensinam ou disciplinam algo importante.

 

Sonecas longas durante o dia:

Devemos considerar alguns detalhes: Os recém-nascidos (até 3 meses) dormem muito durante o dia (em média 7 horas), fazendo várias sonecas. Raramente dormem mais que 8 horas seguidas à noite. Eles são uma completa exceção. Depois do 3 mês isso muda.

Depois que o bebê completa 6 meses o seu padrão de sono durante o dia já se modifica novamente (dormem em média 3 horas durante o dia), fazendo apenas 2 sonecas, geralmente uma pela manhã e uma pela tarde. Nessas sonecas devemos cuidar para cada uma não passar de duas horas, pois isso começa a influenciar nitidamente no sono noturno. Depois dos 12 meses os bebês começam a dormir apenas 2 horas e meia (no máximo) durante todo o dia, geralmente ainda dividido em 2 sonecas e depois dos 16/18 meses fazem apenas uma soneca, ou pela manhã (para os que acordam cedo) ou a tarde. Nessas fases vários detalhes começam a atrapalhar a noite de sono: O horário que dormiu à tarde, por exemplo: dormir depois das 16:00 horas ou no final da tarde. Dormir mais do que 2 horas seguidas.

Então, é preciso cuidar um pouco os horários e quantidade do sono diurno (principalmente se você deseja que seu filho durma mais cedo). Deixar o bebê sem dormir, com muito sono também prejudica, pois ele fica superestimulado/cansado e tem dificuldades em manter o sono noturno. O ideal é manter um equilíbrio nessas sonecas.

 

Não ensinar ao bebê o que é dia e o que é noite:

Muitas mamães relatam que seus filhos trocam o dia pela noite e isso é super normal, pois afinal, os bebês quando nascem não sabem a diferença entre dia e noite, no útero é sempre muito parecido. Cabe totalmente a nós lhes ensinar essa diferença e isso é grande parte do processo de dormir a noite toda. Durante o dia: Sempre deixe luzes no quarto (pelo menos até o bebê estabelecer um padrão) e os barulhos naturais da casa (máquinas de lavar, aspirador, TV, etc.) e não deixe que as sonecas se prolonguem a tarde toda. À noite: mantenha o quarto escuro, a casa silenciosa, não saia do quarto para amamentar, não ligue a luz se precisar trocar a fralda, não converse com o bebê e mostre que esse sono deve ser prolongado e tranquilo.

 

Superestimulação/mudanças:

Os bebês e crianças demonstram o que estão sentindo muitas vezes através do sono. Então, quando a criança tem um dia muito agitado, com eventos novos, está muito feliz, triste ou até mesmo assistiu muita TV. Começou uma nova atividade, como por exemplo: ir para a escola. A criança pode começar (sem motivo aparente) acordar várias vezes a noite. Esse processo pode durar apenas uma noite se foi algo pertinente ao dia, de 7 a 15 dias se for por causa de uma nova adaptação. Se for uma mudança na organização familiar ou algo que de alguma forma esteja abalando emocionalmente a criança pode permanecer por mais tempo.

 

Dores/incômodos:

Cólicas, gases, refluxo, dentes e qualquer outro incomodo podem refletir diretamente na noite de sono. Doenças: Muitas crianças quando iniciam algum processo inflamatório já demonstram alguma alteração no sono. Aqui em casa é sempre assim. Quando o Francisco começa a dormir mal, nós prestamos mais atenção nos sinais que seu corpo está dando. Ou ele está com alguma dor ou ficando doente. O refluxo quando volta é a noite que percebemos e as crises alérgicas também. Então, quando seu filho dorme bem, sem nenhuma influencia/costume e já tem um padrão de sono estabelecido, fique de olho nas noites mal dormidas, elas podem ser um alerta para algo que esteja o incomodando (seja de ordem física ou emocional).

 

O primeiro ano e o sono conturbado:

Existem muitos momentos em que o bebê irá acordar com maior frequência sem que isso seja algum “problema” relacionado ao sono. Vamos encarar então… Por mais que um bebê durma bem, em seu primeiro ano terá momentos onde dormirá mal.

Isso ocorre, pois o primeiro ano de um bebê é marcado por muitas alterações, observe quantas coisas acontecem no primeiro ano: O bebê aprende a firmar a cabeça, depois a sentar, aprende a comer, alguns até a caminhar. É um ano agitado, onde nascem os primeiros dentes, ocorrem vários picos de crescimento e saltos de desenvolvimento (leia mais sobre isso clicando aqui). Enfim, é um ano cheio de marcos importantes e muitas vezes o bebê não sabe como lidar com essas novidades e mudanças. Ele se sente assustado, ansioso, feliz pelas novas conquistas e tudo isso de alguma forma pode (e vai) afetar o sono. Aliás, como já citei, quando as crianças não estão bem ou estão passando por momentos difíceis o primeiro sinal são as alterações no sono, é um processo natural como as birras. Seja empático com o seu filho e coloque-se no seu lugar, que ano difícil, certo?

 

Resumindo:

Novamente: Em primeiro lugar identifique (com calma) tudo que pode estar atrapalhando a noite de sono do seu filho, repasse cada item e se pergunte: Será que ele não está passando da hora de dormir? Será que o ritual do sono não o agrada? O leite o desperta? Ele dorme com influencias e ajuda? Dorme muito durante o dia ou se alimenta pouco durante o dia? Como está a rotina? Depois que você descobrir todos os pontos comece a mudar uma coisa de cada vez, nunca faça tudo ao mesmo tempo. A mudança deve ser progressiva para não assustar o bebê e ele entender cada passo.

Lembrando que qualquer coisa que ensinamos para os bebês eles podem e tem capacidade de aprender (mais rápido que nós), mas precisamos agir com paciência (não deixar o bebê chorando) e ter ciência de que esse processo pode demorar até 30 dias (esse é o tempo básico para qualquer adaptação), mas precisamos insistir, ser firmes e fazer todos os dias da mesma forma!

 

Beijinhos!




2 Comentários em "Por que meu filho ainda acorda a noite?"

avatar
Organizar por:   mais novos | mais antigos | mais votados
Claudia
Visitante
Claudia

Tudo que eu estava precisando, faz uns 6 meses que eu não durmo 1 noite. Não aguento mais, não tenho nem força mais. Acho que dessa lista no mínimo 5 eu falho. Eu já sabia que algo estava errado em nossa rotina, mas não sabia por onde começar. Muito obrigada por me ajudar e realmente ser capaz de mudar nossa vida. Deus abençoe sua vida! Obrigada. Beijo. Sua fã Clau!

Júlia Santos
Visitante
Júlia Santos
Ana. Lu seus outros Posts tb, terminei tudo agora. Estou boba como eu não sabia coisas que são simples e óbvias. Meu filho pesa 10 kilos e faço ele dormir no colo balançando durante 1 hora até ele se estregar. Às vezes choro de desespero e dor no corpo e sei que não faz bem pra ele nem pra mim. Preciso mudar as coisas, meu filho acorda de 2 em 2 horas. Às vezes chega a dormir das 23:00 até às 3:00, mas depois é a noite toda. Já me identifiquei em quase tudo que escreveu. Muito obrigada por se… Leia Mais »
wpDiscuz