Vacinas de bebês: Posto de saúde ou clínica particular? Qual a diferença?

Vacinas de Bebês: Posto de saúde ou Clínica Particular?

Há alguns dias escrevi em um post sobre as vacinas que o Francisco tomou no 2º, no 4º e no 6º mês e muitas pessoas me enviaram e-mails pedindo para explicar um pouco sobre as diferenças, então o Post de hoje, são algumas informações que pesquisei, que recebi das pediatras que cuidam do Francisco e dos médicos da minha família, enfim, porque escolhi nesses meses (2º, 4º e 6º) fazer as vacinas (pagas) na clínica particular e não no posto de saúde.

A maioria das Vacinas que uma criança necessita e “toma” durante os seus primeiros anos de vida são iguais na rede pública (posto de saúde) e na Rede Particular (clínicas particulares).

 

Mas, você sabia que existem 5 vacinas diferentes (e que são muito importantes)?

 

Realizadas no 2º, no 4º, no 6º e no 12º mês com reforço de uma delas no 12º e uma no 15º mês. Essas Vacinas são: Rotavírus Pentavalente (Oral), a Hexavalente e a Pneumocócica 13 e recentemente as vacinas: ACWY-TT (12 meses) e ACWY-CRM (a partir de 2 anos) e a vacina Meningocócica B (a partir do 2º ou  3º mês).:

Vacinas de Bebês: Posto de saúde ou Clínica Particular?

Antes de explicar as diferenças dessas vacinas, vou citar todos os meses, as vacinas indicadas em cada um deles e se existe alguma diferença. Vamos lá!

 

1º mês:

 

1-BCG: (Famosa por deixar aquela marquinha no braço do bebê). Deve ser aplicada ainda na maternidade ou na primeira semana de vida. Ela previne a criança das formas graves de Tuberculose.

Lembrando que essa vacina causa (forma) uma “feridinha” no local da aplicação e é normal e necessária, não se assuste. O pediatra com o passar dos meses irá prestar atenção se a vacina fez o efeito que deveria ou se terá que ser refeita (difícil acontecer).

Essa vacina é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

 

2- 1ª dose da Hepatite B: Também deve ser aplicada na maternidade, na primeira semana de vida ou durante o primeiro mês do bebê.

Essa vacina é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

 

2º mês:

 

 1-Pentavalente (DTP + Hib + hepatite B) X Hexavalente (DTPa – HB – IPV+Hib):

 

Rede pública:

É chamada de Pentavalente, pois previne contra 5 tipos de vírus, doenças, difteria, tétano, pertussis, Haemophilus influenzae b e hepatite B (conjugada).

É feita sob a forma de vírus ativado, vivo, possivelmente causando mais reações no bebê (febre, diarreia, convulsão, inchaço no local da aplicação, irritação, dor, etc).

Administrada no 2º, no 4º e no 6º mês, com intervalo entre as doses de 60 dias e, mínimo de 30 dias. O primeiro reforço é realizado aos 18 meses de idade e o segundo reforço aos 4 anos.

Importante: a idade máxima para administrar esta vacina é aos 6 anos 11meses e 29 dias.

 

Rede particular:

A vacina é chamada de Hexavalente, pois além das doenças, vírus (difteria, tétano, pertussis, Haemophilus influenzae b e hepatite B) ela possui a vacina da poliomielite (Salk) incluída, eliminando uma das “picadas” (no posto seriam 3 “picadinhas” e não apenas 2 como na rede particular e mais uma vacina oral).

Também possui outra diferença (para mim a mais importante): Na clínica particular essa vacina é feita na forma inativava, ou seja, não contem vírus vivo, o que causa menos reações no bebê (ou não causa), por exemplo, o Francisco não mudou em absolutamente nada o seu comportamento, foi como se não tivesse feito à vacina.

 

2- Vacina contra Poliomielite (Salk VIP e Sabin VOP):

 

 

Rede pública:

Poliomielite (Vacina Salk ou VIP) é uma doença infecciosa causada pelo poliovírus (sorotipos 1, 2 e 3), que causa a paralisia infantil.

A vacina é administrada em duas doses (no 2º e no 4º mês) na forma injetável (não mais em gotinhas) e através de vírus inativado, não contem vírus vivo, sendo totalmente segura para o bebê, não tem risco do bebê contrair a doença através da vacina (chance super pequena) como na vacina com vírus atenuado.

É importante manter o intervalo entre as doses de 60 dias e, mínimo de 30 dias.

 

No 6º e no 15º (reforço) mês a vacina muda, é aplicada a vacina contra Poliomielite (Sabin ou VOP), que a grande diferença é na forma como a vacina é feita, essa vacina contem vírus vivo, atenuado, como está escrito na carteira (e significa: que o vírus passa por um processo no qual é reduzido, enfraquecido [permanece vivo] a níveis considerados seguros), e existe uma pequena, mínima chance da criança contrair a doença através da vacina (mesmo sendo pequena, a chance existe e eu acho um absurdo não ser a Salk em todas as doses).

 

Lembrando que: A partir de 2012 a vacina contra Poliomielite mudou no sistema público, antes ela era aplicada por via oral (gotinhas) na forma de vírus ativado, vivo, em todos os meses.

 

Rede particular:

A Vacina Salk é aplicada combinada na vacina Hexavalente, eliminando essa “picadinha” (e claro na forma de vírus inativado).

3- Rotavírus Monovalente X Rotavírus Pentavalente:

 

Posto de Saúde:

Chamada de Rotavírus Monovalente (Vacina oral Rotavírus humano G1P1 [8]): A grande diferença dessa vacina é que ela protege contra apenas 1 dos vírus causadores da doença (que causa diarreia, febre, dores, e em casos mais severos desidratação e sempre é mais grave nas crianças). É aplicada preferencialmente no 2º e no 4º mês.

  

Clínica Particular:

Chamada de Rotavírus Pentavalente: Enquanto no posto a vacina protege contra apenas 1 vírus (monovalente), a vacina particular protege contra 5 tipos existentes da doença, por isso o nome Rotavírus Pentavalente.
Ambas são administradas por via Oral e são feitas a base de vírus vivo (ativado). Dificilmente causam reações mais severas como as demais.

São administrar  3 doses seguindo rigorosamente os limites de faixa etária, a 1ª dose com 2 meses e a 2ª dose com 4 meses e a 3ª dose com 6 meses. O intervalo mínimo entre a 1ª, a 2ª dose e a 3ª é de 30 dias. Nenhuma criança poderá receber a segunda dose sem ter recebido a primeira. Ambas as vacinas podem ser aplicadas a partir de 6 semanas de vida e no máximo 3 meses e 15 dias após o nascimento.

Se a criança cuspir ou vomitar após a vacinação não é preciso repetir a dose, pois ela já é administrada em um volume maior para prevenir esse tipo de situação.

 

4- Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) X Vacina Pneumocócica 13 (conjugada):

 

 Rede pública:

Chamada de Vacina pneumocócica 10 (conjugada): A vacina ajuda a proteger as crianças das doenças causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, que causam as seguintes doenças: meningite, pneumonia, otite média e aguda (ao menos 30% das otites são causadas por essa bactéria), sinusite e bacteremia.

A grande diferença da rede pública é que essa vacina previne apenas contra 10 tipos da bactéria e é feita a base de vírus vivo, ativado, causando mais reações no bebê.

Essa (segundos os médicos do Francisco) é a vacina que mais causa reações (febre alta, dores, inchaço no local, alergias, choro sem motivo, entre outras) e é a mais dolorida (na aplicação).

 

Rede Particular:

Chamada de Pneumocócica 13 (conjugada): Essa vacina em vez de 10 tipos ela previne contra 13 tipos da doença (o que considero muito importante), contra novas variações da bactéria.

A vacina também é feita a base de vírus inativado (sem vírus vivo), causando menos ou nenhuma reação (como a hexavalente).

Por exemplo: no Francisco apenas na 3º dose (que geralmente é a dose que causa mais reação pelo acumulo no organismo) causou um pouquinho de febre (37.8*), mas, apenas administrando o remédio específico para febre (utilizo Tylenol Bebê) já passou e não voltou mais (o que pode permanecer por 36 horas após a aplicação da vacina, segundo a pediatra que cuida do Francisco).

 

Outro detalhe importante: Se a família não tiver condições de comprar essa vacina, muitos pediatras indicam que pelo menos uma (a última) dose da vacina seja administrada no bebê (isso vale para as outras) para que ele tenha imunidade a alguns vírus e bactérias (significativas) a mais.

São aplicadas 3 doses, no 2º, no 4º e no 6º mês de idade.

O intervalo entre as doses é de 60 dias e, mínimo de 30 dias. Com um reforço, preferencialmente, entre 12 (1 ano) e 15 (1 ano e 3 meses) meses de idade, considerando o intervalo mínimo de seis meses após a 3ª dose.

Esse esquema de aplicação é igual na rede pública e na rede particular.


3º Mês:

Rede pública e particular:

Vacina Meningocócica C (conjugada): A vacina é utilizada para prevenir as doenças provocadas pela bactéria Neisseria meningitidis do sorogrupo C. Essa bactéria pode causar infecções graves, como a meningite e a sepse.

Essa vacina é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

 

Rede Particular:

Recentemente surgiu a vacina Meningocócica B e ela está disponível apenas nas clínicas particulares. Ela pode ser aplicada a partir do 2º  ou 3º mês. Ela previne contra um dos tipos mais fatais de Meningite a B (escreveu um post apenas sobre ela).

 

4º Mês:

 

Rede Pública:

2º dose da vacina Pentavalente (DTP + Hib+H)

2º dose Vacina contra Poliomielite (Salk):

2º dose Rotavírus Monovalente X

2º dose Vacina Pneumocócica 10 (conjugada)

 

Rede Particular:

2º dose da vacina Hexavalente (DTP + Hib +Hepatite B): Muitas mamães tem dúvidas sobre a vacina da Hepatite B ser repetida no 4º mês (4 doses), mas se ela for combinada pode ser aplicada sem problemas em 4 doses.

2º dose da vacina Rotavírus Pentavalente

2º dose da vacina Vacina Pneumocócica 13 (conjugada)

 

5º Mês:

2ª dose Vacina Meningocócica C (do 3º mês). – Aplicada na Rede Pública.

6º mês:

 

Rede Pública:

1- (3ª dose) Vacina Pentavalente (DTP + Hib + hepatite B)

2- (3ª dose) Vacina contra poliomielite (VOP ou Sabin): A partir do 6º mês (como já expliquei antes) a vacina da poliomielite no calendário de vacina está classificada como Sabin (ou VOP) e não mais a Salk (ou VIP) como nos dois primeiro meses.

A Salk eu já expliquei que é acelular, não contem vírus vivo, sendo totalmente segura, mas a Sabin é o oposto, contem vírus vivo, atenuado (e existe aquela mínima chance de contrair a doença, muito mínima, mas existe).

3- (3ª dose) Vacina Rotavírus Monovalente

4- (3ª dose) da Vacina Pneumocócica 10 (conjugada)

5 – Vacina H1N1- influenza: É indicada para todas as crianças a partir do 6º mês de idade, mas geralmente é aplicada antes do período de maior prevalência da gripe (mas não antes do 6º mês do bebê). A vacina deve ser feita anualmente.

Para as crianças essa vacina é gratuita e é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

  

Rede Particular:

1- (3º dose) Vacina Hexavalente (DTPa – HB – IPV+Hib):

2- (3º dose) Vacina Oral Rotavírus Pentavalente

3- (3º dose) Vacina Pneumocócica 13 (conjugada)

 

+aplicada na REDE PÚBLICA:

4 – Vacina H1N1- influenza: A primeira vez que a criança tomar a vacina ela será dividida em 2 doses com intervalo de 30 dias. As próximas serão aplicadas em dose única.

 

7º e 8º mês:

Não existe nenhuma vacina determinada nesses meses.

 

9º Mês:

 

Vacina Febre Amarela (atenuada):

O Francisco não tomou essa vacina por opção nossa (na região onde moramos não existe possibilidade de contrair a doença e se acaso algum dia formos viajar para algum local de risco, para outro pais ou florestas administraremos a dose, mas no momento decidimos poupá-lo) e o consentimento da pediatra, mas se fossemos fazer a vacina nesse mês iniciaríamos uma preparação, que seria a seguinte:

Essa vacina é constituída por vírus vivos atenuados, que são cultivados em OVOS embrionados de galinhas. Então, é necessário a partir do 7º mês começar a introduzir (1/4) da gema do ovo na alimentação do bebê (e ir aumentando) para descobrir se o bebê tem ou não alergia ao ovo de galinha.

No 8º mês é preciso introduzir a clara do ovo na dieta do bebê, para apenas no 9º mês aplicar a vacina.

Com esses cuidados é possível diminuir as chances do bebê ter algum problema com a vacina (a mesma preparação é feita para a vacina da H1N1- influenza A).

Já li muitas reportagens e mamães falando que essa vacina causou reações (febre alta, dor de cabeça, bebê enjoado), mas o Francisco não teve nenhuma mudança no comportamento, ele não teve reações. Mamães, como foi para os seus bebês??

 

Essa vacina é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

 

Nesse mês, as crianças que frequentam Creches e têm mais contato com outras crianças poderão ser vacinadas contra a varicela ou catapora, mas será necessário mais duas doses da vacina (essa não será considerada), como as demais crianças, com 12 e 15 meses. Essa vacina será a monovalente contra varicela e não uma vacina combinada como a dos 12 e dos 15 meses (Quádrupla viral – SCRV).

 

12º Mês:

 

1- (1ª dose) Vacina Tríplice viral – SCR (Sarampo, Caxumba, Rubéola)

2- (1ª dose) Vacina Monovalente contra Varicela

Ou apenas uma aplicação da (1ª dose) Quádrupla viral – SCRV; Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela na mesma vacina, combinadas.

Essa vacina é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

A 1ª dose da Quádrupla só está disponível nas clinicas particulares. A rede pública só disponibiliza a segunda dose com 15 meses.

 

Alguns dados interessantes (Recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria):

A vacina quádrupla viral se mostrou associada a uma maior frequência de febre nos lactentes que receberam a primeira dose desta vacina, quando comparados com os que recebem as vacinas varicela Monovalente e tríplice viral em injeções separadas, na primeira dose.

A vacina varicela em dose única mostrou-se altamente eficaz para prevenção de formas graves da doença. Entretanto, devido à possibilidade de ocorrência de formas leves da doença em crianças vacinadas com apenas uma dose da vacina varicela, sugere-se a aplicação de uma segunda dose da vacina. Crianças que receberam apenas uma dose da vacina varicela e apresentem contato domiciliar ou em creche com indivíduo com a doença devem antecipar a segunda dose, respeitando o intervalo mínimo de 1 mês entre as doses. A vacinação pode ser indicada na profilaxia pós-exposição dentro de cinco dias após o contato, preferencialmente nas primeiras 72 horas.

 

3- (Reforço) Vacina pneumocócica (essa vacina pode ser feita até o 15º mês):

 

Rede Pública:

(Reforço) Vacina Pneumocócica 10 (conjugada)

Rede Particular:

(Reforço) Vacina Pneumocócica 13 (conjugada)

 

4- Vacina Hepatite A: Há pouco tempo atrás essa vacina estava disponível apenas nas clínicas particulares, mas agora (finalmente!) está disponível na rede pública, mas apenas a 1ª dose, a 2ª dose só é feita na rede particular.

Essa vacina é exatamente a mesma na rede pública e na rede particular, não existem diferenças.

Essa vacina ainda não está descrita na caderneta de saúde dos “pequenos”, mas é importante cuidar a data e fazer.

 

5- Vacina Meningocócica:

Rede pública:

Reforço da Meningocócica C.

Rede particular: 

1ª dose da vacina Meningocócica ACWY (TT) conjugada ao toxóide tetânico. É uma vacina nova que está sendo muto recomendada pelos pediatras, pois previne compra 4 tipos da doença ao toxóide tetânico (escreverei um post sobre ela também, pois muitas mamães e papais ainda não conhecem).

15º Mês:

 

Rede Pública:

1- (Reforço) Vacina contra Poliomielite (Sabin)

2- (1º Reforço) Pentavalente (DTP + Hib + hepatite B)

3- (Reforço) Vacina Meningocócica C,

4- (2ª dose) Quádrupla viral – SCRV – A segunda dose da vacina quádrupla já está disponível da rede pública..

 5- Vacina Pneumocócica 10 (conjugada)

Rede Particular:

1- (Reforço) Vacina Hexavalente (DTPa – HB – IPV+Hib):

2- (Reforço) Vacina Meningocócica ACWY-TT.

3- (2ª dose) Quádrupla viral – SCRV (igual a rede publica nessa 2ª dose).

(Reforço) Vacina Pneumocócica 13 (conjugada)

 

18 meses:

1- reforço da vacina Hepatite A disponível apenas na rede particular.

4 anos:

 

Rede Pública:

(2º Reforço) Pentavalente (DTP + Hib + hepatite B)

 

Rede Particular:

(2º Reforço) Vacina Hexavalente (DTPa – HB – IPV+Hib):

10 anos:

Vacina Febre Amarela (atenuada): Uma dose a cada 10 anos.

Observe o Calendário de vacinas:

Vacinas de Bebês: Posto de saúde ou Clínica Particular?

 Mais informações sobre esse calendário aqui.

 

A nossa caderneta:

Vacinas de Bebês: Posto de saúde ou Clínica Particular?

 

Como ela está (os registros das vacinas são extremamente importantes para toda a vida do seu filho):Vacinas de Bebês: Posto de saúde ou Clínica Particular?

 

Para finalizar…

3 Dicas importantes sobre Vacinas de Bebês!

 

– As vacinas que são iguais na rede pública e na rede particular, alguns profissionais indicam que sejam aplicadas no posto de saúde, pois o fluxo e o giro das vacinas acabam sendo maiores na maioria das vezes (isso depende do município), então dificilmente as vacinas ficam estocadas muito tempo, elas são sempre renovadas.

 

– Se a família tiver condições de comprar as vacinas que são diferentes ou remanejar algum outro gasto, esse é um dos investimentos mais validos, seu filho estará mais seguro e imunizado contra mais doenças.  É algo que ele levará para o resto da vida e saúde é tudo! Se informe com o profissional que você confia, busque, leia sobre o assunto, é algo que merece a sua atenção!

 

A pontualidade em se tratando de vacinas, realmente faz toda a diferença. É muito importante cuidar para não atrasar as vacinas e sempre fazê-las no mês indicado, pois o calendário de vacinas foi especialmente calculado para proporcionar mais proteção ao seu bebê. É importante cuidar para não atrasar, mas também não antecipar, ser pontual na data (mas se o seu pediatra indicar que alguma vacina deve ser adiantada é outra história, algumas podem acontecer, como a da varicela, por exemplo).

 

Qualquer dúvida consulte sempre o (a) pediatra que acompanha o seu (a) filho (a)!

 

Beijinhos!

 




28 Comentários em "Vacinas de bebês: Posto de saúde ou clínica particular? Qual a diferença?"

avatar
Organizar por:   mais novos | mais antigos | mais votados
Edi
Visitante
Edi

Excelente Ana! Tirei todas as minhas duvidas!

Jaque Morardi
Visitante
Jaque Morardi

Ana, não conhecia o seu blog. Estava buscando e tentando entender sobre essas vacina pq já tinha ouvido falar, vc explicou muito , já li em vários sites e tinha ficado confusa, vou te seguir. Estou grávida e pesquisnado sobre tudo que eu vou ter que fazer. Obrigada pela ajuda. Adorei o Blog, parabéns pela iniciativa.

Maria clara
Visitante
Maria clara

Oii Ana! Adorei o post, muito válido. Nada mais importante do que vacinar e previnor nossos filhos. Sou mãe da Júlia de 2 anos e do Gui de 3 meses, por isso estava buscando mais informações sobre as vacinas. Da Ju fiz no posto, mas o pediatra do Gui recomendou essas, agora ficou mais claro, com certeza vou investir, pq as vezes acabamos comprando tantas coisas que eles nem precisam, gastando em porcaria e isso sim é importante, isso é válido. Adorei o blog. Beijoooo

Amanda
Visitante
Amanda

Ana, você mora em SMO, certo? aonde vc fez as vacinas no Francisco, quero fazer na Clara, ficou claro agora, vou investir. Beijinhos (como vc fala huhuhu… Fofa!)

Aline Badia
Visitante
Aline Badia

Oiiiii… Venho seguindo seu blog, esse post foi o mais informativo de todos (mas o meu preferido é o da mulher), escreva mais post como esses, já fiz essas vacinas nos meus dois filhos Joaquim (8 meses), Pedro (3 anos) e lembro que na época foi difícil um blog com informações completas. Vou sugerir, escreve sobre sono do bebe? vi no insta que seu filho dorme 12 horas, como??? Beijo e espero mais matérias.

Silvana
Visitante
Silvana

Huhuhu Muito bom, explicações que muitas vezes nos fazem falta, e são muito importantes aos nossos anjos

Kátia Lucia
Visitante
Kátia Lucia

Nossa muito bom, eu não sabia disso, concordo com a Silvana, informações que nos faltam. Adorei. Tem que divulgar isso.

Sheila Martins
Visitante
Sheila Martins

Olá Ana! Levei meu pequeno hoje na pediatra e, na sequência, para tomar a vacina do terceiro mês, a meningo C, e a médica indicou que ele tomasse a meningo B, uma vacina também para meningite, só que como é recente, ainda está disponível apenas na rede particular, e o preço é absurdo (entre R$ 500 e R$ 600 reais). Sabe alguma informação sobre essa vacina? Abraço, Sheila.

marcia
Visitante
marcia

Olá meu filho tem 11 anos ,existe a vacina da meningite na rede pública que ele possa tomar ….Obrigada!

Lorrayne
Visitante
Lorrayne

OI Ana,sou mamãe da Sophia e Gostaria de saber se depois de ter dado a Pentavalente no Publico(aos 2 meses),posso dar a hexavalente no particular, ou tem diferença? Seu blog é muito informativo e meu marido leu tudo e me explicou , ele gosta dessas coisas.

Emmanuelle
Visitante
Emmanuelle

Cara Ana,

dei a vacina de dois meses no posto de saude (penta, polio, pneumococica10 e rotavirus monovalente). A minha duvida é: aos quatro meses terei que dar a segunda dose, posso dar todas na rede particular?

Rose
Visitante
Rose

gostaria de sobre mais sobre esta (dpt rede publica e a dpta rede particular) estou tentando engravidar e tenho muitas duvidas sobre a mesma já que muitos estão associando a mesma como uma das possíveis causadoras da microcefalia que esta em grande escala no Brasil hoje ” Ana você poderia mi ajudar mi dando mais informações sobre ela pois mi informaram que gestante deve tomar e eu estou com medo.

Luciana
Visitante
Luciana

Oi Ana, tudo bem? Você poderia me enviar os dados da central de vacinas para eu entrar em contato. Ótimo artigo super esclarecedor.

Ivana
Visitante
Ivana

Adorei sua explicação, muito bom. Só acrescentaria os valores pago, para particular, assim podemos fazer um planejamento financeiro das vacinas…. Parabéns!

Mardyore Mileane
Visitante
Mardyore Mileane

Ana, simplesmente amei esse post!
Muito detalhista e esclarecedor! Você está de parabéns!
Só um detalhe, como ele foi escrito em 2015, o calendário brasileiro de vacinas já sofreu alterações. Então seria interessante atualizar o post com as mudanças onde agora a Meningocócica ACWY é fornecida no particular a partir de 2 meses e não mais 1 ano, com indicação de 3 doses aos 3, 5 e 7 meses, juntamente com a Meningocócica B.

helenita
Visitante
helenita

Parabéns, excelente artigo.
Estava com muitas dúvidas de como imunizar a minha bebê de forma completa, mas conciliando o calendário público com o particular.

Heloisa Salti
Visitante
Heloisa Salti

Estava super nervosa com a vacina para o 2* mês de vida de meu bebê e comecei a oesquisar…maravilhoso ter compartilhado esse conhecimento! A pediatra do meu bebê não comentou conosco sobre essas diferenças tão significativas Gratidão! 🙂

Danielle
Visitante
Danielle

Puxa, muito bom seu post! Muito claro, esclarecedor e completo!!! Mais até q muitos médicos consiguem explicar. Parabens e obrigada!

Luciana umburanas
Visitante
Luciana umburanas

Oi Ana.Meu filho tomou na rede pública a dtp de 15 meses,por conta desta vacina ele teve convulsão febril,o q devo fazer pois com 4 anos tem reforço. Beijinhos Luciana.

wpDiscuz