Chupetas: Vantagens e Desvantagens - Sobre Maternidade

Chupetas: Vantagens e Desvantagens

Comportamento e Educação Maternidade/Filhos Posts Mais Lidos Saúde e Cuidados

Olá pessoal!

 

Neste post irei analisar as Vantagens e as Desvantagens das chupetas.

Chupeta sempre é um assunto polêmico entre as mamães, usar ou não usar? Prejudica? Auxilia? Acalma o bebê? São várias as opiniões, principalmente dos profissionais, muitos são favoráveis, outros abominam e assim segue. Alias, quando se trata de bebês as opiniões profissionais geralmente divergem.

Não sou o tipo de mãe “8 ou 80”, na gravidez até tinha milhões de conceitos prontos sobre tudo, mas hoje, depois do “choque” pós-nascimento expectativas X realidade tenho uma visão mais aberta das coisas, prefiro testar, analisar, pesquisar e se perceber que fez/faz bem ao meu filho eu utilizo, modifico, aceito.

Com a chupeta foi assim, pesquisei, analisei os prós/contras e formei uma opinião. Se o Francisco gostasse, se fizesse bem a ele e o acalmasse seria totalmente (sem exageros no seu uso) a favor.

Acredito que antes de pontuar, prós ou contras é preciso entender porque os bebês gostam tanto da chupeta, porque os acalma e conforta.

Ao longo da vida, passamos por várias fases de desenvolvimento psicossexual e a primeira fase que experienciamos é a fase oral, a famosa fase onde o bebê leva tudo a boca e muitas pessoas dizem “é dente nascendo”, pode ser, mas na maioria das vezes não é, é puro instinto e necessidade, vou explicar melhor.

Nessa fase o principal “objeto”, meio de prazer para o bebê é a boca, os lábios (e mais tarde até os dentes). E é através do sugar (do mamar) que o bebê interage e conhece o mundo. Receber alimento significa vida para o bebê e enquanto é alimentado ele também é acalentado, confortado, amado, acariciado e isso é diretamente associado ao prazer.

Qualquer sentimento frustrante ou diferente, algo que assusta o bebê, a sua primeira reação é buscar o seio, mais tarde as mãos, enfim, sugar! Afinal, essa é a única forma que o bebê conhece para aliviar o que lhe incomoda, por exemplo: Quando sente dor física ou emocional, quando se sente ansioso, nervoso, feliz, a “solução dos problemas” é sugar, tudo se resume a esse ato, tudo se alivia a partir disso. E nesse ponto de vista é importante aprender a observar alguns detalhes, até que ponto o bebê está com fome e até que ponto ele apenas deseja sujar para se acalmar. Diversos bebês são diagnosticados com refluxo, cólicas, gases, enfim, dificuldades digestivas devido a alimentação excessiva, preste atenção.

É através da boca que o bebê estabelece o primeiro contato e vínculo com o primeiro (e maior) amor da vida dele, a mamãe (que lindo!).

Resumindo: O ato de sugar alivia e realmente acalma o bebê, é uma questão biológica, o bebê precisa dessa sensação para se sentir bem e confortável muitas vezes.

Pensando nisso, alguém resolveu dar aos bebês uma forma de aliviar suas tensões fora do seio materno  e a nossa amiga chupeta foi criada, mas como acontece com a maioria das coisas que não são naturais, existem efeitos colaterais, malefícios, contras.

E juntamente com a grande invenção surge a polêmica…

 

Chupetas: Vantagens e Desvantagens

Vantagens:

  • Acalma e conforta o bebê, alivia suas dores emocionais e físicas;
  • Uma amiga na hora do sono e do choro excessivo (mas, é importante ensinar o bebê a pegar a chupeta sozinho desde que ele começar a conseguir segurar os objetos e levar a boca -para mais tarde quando ele perder ela na cama conseguir recuperá-la sozinho);
  • Dizem alguns especialistas que segundo estudos a chupeta pode colaborar na prevenção da morte súbita (SMSL);
  • Alguns artigos que pesquisei expõem que o uso da chupeta em recém-nascidos prematuros pode colaborar com uma menor permanência hospitalar.

 

Desvantagens:

  • Influência no desmame precoce (quando o bebê apresenta muitas dificuldades na pega, porém, nessa situação o ideal é solicitar ajuda de algum especialista em amamentação. Na prática, se esperar até estabelecer a pega adequada do bebê ao seio poucos bebês deixam de mamar por causa -exclusiva- da chupeta);
  • Pode causar dificuldades na amamentação, na pega correta;
  • Pode causar oclusão dentária levando a deformações na arcada dentária e problemas na mastigação se usada o dia todo e por mais de 2 anos (mais informações aqui);
  • Pode causar atrasos na fala (se o bebê usar durante muito tempo);
  • Dificuldades em “largar” a chupeta (como qualquer costume);
  • Pode ocorrer uma maior influencia nas infecções de ouvido, rinites e amigdalites;
  • Maior chance de desenvolver sapinho (candidíase oral) e verminoses pela falta de higiene adequada.

(Clique aqui para mais informações, um artigo interessante).

 

Algumas recomendações importantes para o uso:

  • Evitar utilizar a chupeta em todas as atividades do dia, para brincar, tomar banho, passear;
  • Não manter o seu uso após os 2 anos de idade;
  • Tentar utilizar a chupeta apenas para auxiliar na hora de dormir ou quando o bebê realmente necessita de conforto (vacinas, dodóis, cansaço excessivo);
  • Alguns profissionais indicam apenas o uso de bicos ortodônticos, alegando prejudicar menos;
  • Antes de oferecer a chupeta por qualquer motivo ou choro para o bebê, é interessante prestar atenção no que o bebê está tentando “dizer”, transmitir. É importante tentar descobrir porque a criança está chorando para tentar solucionar realmente o problema (fome, sono, cólica, tédio, etc.). Os diversos tipos de choro existem para isso, para ajudar os pais a entender e conhecer as necessidades do seu filho, é uma das formas que a criança utiliza para se comunicar com os pais.  Essa é uma recomendação minha como profissional (e de muitos outros). Sempre cuidei e cuido muito isso com o Francisco, hoje quando ele chora em segundos eu já sei o que ele precisa, mas no início era confuso e difícil identificar, apenas com o tempo “ouvindo” e observando aprendi, por isso considero importante tomar esses cuidados;
  • A Academia Americana de Pediatria (AAP), recomenda que a chupeta só seja oferecida ao bebê depois da 3 semana de vida ou quando a amamentação já esteja bem definida e a chupeta não atrapalhe esse processo;
  • Estabelecido o amor entre bebê e sua chupeta, tomar cuidado na hora de tirá-la da vida do bebê, pois essa quebra de relação pode causar traumas (por ser um objeto tão amado e “idolatrado”).

 

Para finalizar, considero importante analisar todos esses detalhes antes de oferecer a chupeta ao seu filho, pois depois que ele se apegar e se adaptar será mais difícil “tirar” esse costume.

É importante adaptar essa decisão aos seus próprios conceitos, por exemplo: Eu sempre tive consciência dos malefícios da chupeta, mas decidi usar, pois se conforta e alivia as dores do meu filho e ainda por cima o ajuda a dormir, eu quero! Mas, decidi usar com responsabilidade seguindo as recomendações que citei (fora aquela de esperar 3 semanas, já ofereci a ele no dia em que nasceu, mas quero deixar claro que essa foi a opção que eu escolhi, não significa que é a correta).

 

Bom, agora é com vocês mamães!

No próximo post sobre o assunto vou apresentar a chupeta preferida do Francisco e minha batalha até encontrá-la (clique aqui para ler).

Até mais!

 

2 Comentários
mais antigos
mais novos
Inline Feedbacks
View all comments