Dificuldade para impor limites?

Comportamento e Educação Maternidade/Filhos

Dificuldade para impor limites?

Os distúrbios da falta de limite acontecem quando os pais têm dificuldades para estabelecer regras ou limites importantes, vou explicar:

Aqui podemos avaliar muitas coisas, como: as crianças que não aceitam ir dormir no horário estabelecido pelos pais, choram, brigam, demoram para pegar no sono.

Por exemplo: se dormir às 20h00 é o combinado, mas a criança recusa, os pais acabam cedendo todos os dias e deixando a criança ficar acordada até a hora que “desejar”.

Ou então, na hora de dormir fazem diversos pedidos, como: ao deitar na cama relatam ter sede, necessidade de ir ao banheiro mais uma vez, mais uma história, mais um beijo, assistir, mais um desenho.

E os pais tem dificuldades em lidar com esse momento e acabam cedendo de alguma forma (reforçando o comportamento).

Algumas crianças desenvolvem situações mais delicadas, como vomitar na cama prolongando o horário de dormir e assustando os pais. E isso é muito mais comum do que vocês imaginam.

Identificar as necessidades

Outro ponto, limites irregulares confundem as crianças. Um dia dorme às 19h00, no outro às 22h00, e no outro às 21h00. Um dia pode dormir com os pais, no outro não.

É preciso cuidar para não educar os filhos de acordo com o nosso humor, e sim de acordo com as necessidades reais deles.

Essas situações acabam causando uma bola de neve na vida da família, pois como eu falei os limites ultrapassados no sono acabam sendo ultrapassados em várias outras situações também.

Crianças que não dormem o suficiente também são crianças mais impacientes, ansiosas, irritadas sendo mais difícil ainda lidar com a situação no geral.

Elas não entendem o que é melhor para suas vidas nessa fase, aliás, o nosso cérebro amadurece no padrão do adulto apenas aos 20 anos.

Por isso, quanto mais conseguirmos orientar os nossos filhos, maior a chance de eles fazerem boas escolhas na adolescência, fase onde precisarão fazer isso o tempo todo sem a nossa presença.

Até mais!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments